MEU FILHO VAI SER CRIADO NUMA BOLHA NA EDUCAÇÃO CRISTÃ?

O conceito de bolha é usado de maneira negativa em dois sentidos que podem ser resumidos nas duas frases abaixo:


"se eu colocar meu filho em uma escola cristã, ele vai crescer alienado moralmente, pois não vai ter contato com a realidade de um mundo mau"


"se eu colocar meu filho em uma escola cristã, ele vai crescer despreparado intelectualmente, pois não vai ter contato com os ensinos atuais"


A partir disso, pessoas concluem que, no final das contas, seu filho vai crescer fragilizado espiritualmente, pois quando a bolha moral e intelectual estourar na vida adulta, ele abandonará a sua fé. Você já pensou assim?


Gostaria de te convidar a refletir sobre esses pensamentos sob uma perspectiva maneira bíblica. Assim você vai perceber que esses raciocínios não se sustentam. Ao menos não quando falamos sobre uma formação a partir de uma boa educação cristã.


Primeiramente, sobre a ideia de alienação moral, é interessante notar que quem pensa assim não entendeu que o primeiro contato de qualquer pessoa com o pecado e com o mal é consigo mesmo.


A Bíblia diz que "todos pecaram e carecem da glória de Deus" (Rm 3:23). Jesus disse que "ninguém é bom, a não ser um, que é Deus" (Mc 10:18). Assim, a verdade é que a bolha da perfeição moral estoura sempre que nasce uma pessoa. Por isso, o salmista: "eu nasci na iniquidade, e em pecado me concebeu a minha mãe" (Sl 55:1).


Uma escola cristã, mesmo composta de uma equipe de pessoas cristãs e de crianças de famílias cristãs, não está imune ao problema do pecado e à realidade de um mundo mal. Existem problemas de relacionamentos entre a equipe, assim como brigas entre os colegas de sala. Tudo isso por uma razão muito simples: as pessoas ali também são pecadoras. Portanto, é um mito que oferecer educação cristã é criar seu filho numa bolha moral, já que pecado, maldade, problemas vão existir em qualquer lugar onde existam pessoas, sejam em famílias cristãs ou não, escolas cristãs ou não.


Qual a diferença de uma escola cristã então? É que numa boa escola cristã o seu filho será instruído de maneira correta sobre a realidade do pecado e do mal, sobre a solução que o próprio Deus ofereceu para isso em Cristo Jesus, e especialmente que o pecado não pode ser praticado sem consequências.


Numa boa escola cristã, o mal não vai ser visto como algo relativo, o erro não deixará de ser corrigido, o pedir perdão e o perdoar sempre será incentivado, e o certo nunca deixará de ser ensinado. Se isso for criar dentro de uma bolha, então é isso que eu quero pro meu filho!


E quanto ao argumento de preparo intelectual? Será que meu filho vai crescer dentro de uma bolha porque ele só vai aprender aquilo que a Bíblia ensina. Será que ele vai aprender sobre os dinossauros, já nunca li sobre eles na Bíblia?.


Enquanto escrevo isso, confesso que estou rindo. Infelizmente há muita falta de conhecimento histórico sobre a nossa própria fé dentro da igreja. Pessoas desconhecem que os cristãos sempre foram o povo que mais se mobilizaram em favor do verdadeiro e bom conhecimento.


Se há tantas faculdades hoje, é graças aos cristãos que fundaram as primeiras Universidades, pois ansiavam usar aquele novo espaço e ambiente para explorar o mundo criado pelo Senhor Criador dos Céus e Terra, e o conhecimento vindo do Deus onde estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e conhecimento.


Se a ciência teve tantos avanços nos últimos séculos, em grande parte é graças a diversos cristãos, que ousaram aprofundar seu conhecimento porque entendiam que conhecer melhor o outro livro "escrito" por Deus - o livro da natureza (revelação geral) - glorificava ao Senhor.


Sabe qual é a verdade? Ter acesso a uma boa educação cristã e estudar numa boa escola cristã não é sinônimo de despreparo intelectual. Muito pelo contrário, uma boa educação cristã, na verdade, é o único caminho seguro para uma formação intelectual verdadeira e de qualidade.


Saber por que? Porque é impossível ter uma boa formação intelectual se a educação for desenvolvida sem os fundamentos daquele é o Criador de Todas as Coisas e fonte de Todo Conhecimento e Sabedoria, Cristo Jesus!

Aqui eu me lembro de uma frase de Peter Sloterdijk - Esferas: “Nós nunca vivenciamos o fora. Mas sempre estivemos dentro de uma bolha. Seja a bolha do ventre da nossa mãe, seja o universo que a gente vive. A gente nunca tá fora, estamos sempre dentro


Segundo a visão bíblica, a verdade é que todos nós existimos dentro de uma grande bolha: "nele nos movemos, vivemos e existimos". Deus é o criador, dono e sustentador dessa grande bolha que vivemos. Portanto, precisamos entender que não há ninguém fora de bolhas. Todos nós vivemos e aprendemos dentro de uma grande bolha que é a realidade criada e sustentada por Deus da qual conhecemos tão pouco.


O problema é que há pessoas que não acreditam que neste Deus Criador e Sustentador dessa "bolha". E assim criam suas próprias próprias bolhas que os impedem de enxergar a realidade de maneira correta.


Eu, você e nossas crianças só vamos ter a visão mais correta, mais abrangente e mais profunda possível deste mundo se nos esforçarmos para furar as nossas falsas bolhas, e buscando conhecer a partir da boa educação cristã. Por que eu falo boa educação cristã? Existe uma diferença radical (ou seja, na própria raiz) entre uma educação cristã boa, e uma educação cristã ruim.


A educação cristã ruim é a que acredita que educação cristã é ensinar as mesmas coisas e do mesmo jeito que todos, apenas fazendo uma oração no início da aula, citando alguns versículos na atividade e fazendo um culto por semana.


Já a boa educação cristã propõe algo bem diferente que é justamente o que encontramos de diferente na educação cristã clássica, onde encontramos um fundamento, uma metodologia, um currículo e um propósito radicalmentes diferentes de uma educação comum. Mas isso é assunto para um outro momento.


O que precisamos entender aqui é que o receio de alguns pais sobre criar seu filho numa bolha pode se tornar uma realidade, a partir de uma educação cristã ruim ao oferecer o mesmo que a educação vigente com restrições impostas pela bolha "religiosa", onde o filho deve ser isolado de parte da realidade.


Qual a saída então? A autora do livro "Moldando Mentes e Corações", consegue definir muito bem como a boa educação, a educação cristã clássica, lida com a tentação da bolha:


"Ao invés de prover uma bolha protetora contra informações para isolar nossos alunos e filhos de ideias que pensamos ser nocivas, ou, ao contrário, em vez imergi-los antes que estejam prontos para lidar com elas, a educação cristã clássica escolhe inoculá-los". Monica Whatley


Eu vou um pouco além dela. A boa educação cristã escolhe TREINÁ-LOS. Treiná-los, de maneira intencional, para viverem a missão de Deus neste mundo.


Quando estamos falando de criação de filhos e formação de aprendizes segundo a vontade de Deus, nunca podemos ficar só no campo da defesa. Meu alvo nunca pode ser só proteger. Claro que a proteção faz parte. E quanto mais novo e frágil, mais proteção é necessária. Mas precisamos ir além.


Precisamos entender que formamos nossos filhos para que quando chegar a hora de ele sair da minha casa, não significa apenas uma despedida. Aquele momento é o envio oficial para a missão de Deus neste mundo.


Se eu passar minha vida apenas protegendo meu filho, ele pode até conseguir se proteger durante um tempo. Mas muito em breve, ele será atacado e destruído. Nossos filhos precisam de armas espirituais não apenas para se "defender". Mas também para "atacar". Em meio a um mundo mau, eu preciso prepará-lo para ser um missionário, não um fugitivo. E esse preparo treinamento só será possível por meio de uma boa educação cristã.


Que o Senhor nos ajude e nos capacite para cumprir fielmente esta tarefa!


Texto escrito pelo Pr. Matheus Macedo




79 visualizações0 comentário